terça-feira, 8 de julho de 2014

A Grande Revelação (Julia Quinn)

Durante anos, Penelope Featherington guardou, em silêncio, o segredo do amor que sente por Colin Bridgerton. Um amor sem esperança, já que ninguém - até a misteriosa Lady Whistledown o disse - a imaginaria a casar com um Bridgerton, e muito menos com Colin, cuja vontade de casar parece ser nula. Mas, dez anos passados desde o início do seu amor não correspondido, algo muda entre Colin e Penelope, ainda que nenhum dos dois o consiga compreender. Há um estranho conforto na amizade de sempre, mas também algo de novo nas qualidades que se começam a revelar, agora que Penelope não tem grandes esperanças de conseguir um bom casamento. E é dessas qualidades que se tornam visíveis (ou, quiçá, que Colin nunca tentou realmente ver) que a verdadeira dimensão de um possível afecto começa a revelar-se. Mesmo enquanto a sociedade procura respostas para o segredo mais bem guardado dos últimos anos.
Para quem acompanha esta série desde o início, há um conjunto de características que já são expectáveis a cada novo volume, e este A Grande Revelação não foge à regra. Leve e divertido, com um equilíbrio brilhante entre humor e emoção, personagens carismáticas e uma história em que o romance convive em harmonia com os restantes afectos, este é um livro que corresponde inteiramente às expectativas dos leitores. E que as supera, na verdade, porque todos estes pontos positivos se conjugam na que é, até agora, a mais cativante das histórias dos Bridgerton.
Para o impacto especial deste livro contribui em muito o desenvolvimento dos protagonistas. Colin e Penelope são, à partida, completamente diferentes, ainda que ambos interessantes nas suas formas de estar. Mas a verdade é que, com o evoluir do enredo, há traços das suas personalidades que se completam e, desde as situações de conflito às de afecto, e sem esquecer os muitos episódios divertidos, a forma como a relação evolui e a interacção que se estabelece entre ambos torna os sentimentos mais credíveis e o desenvolvimento da história mais natural.
Também muito interessante, e também já habitual nesta série, é o conjunto de relações e peripécias que complementa ao romance. Desde os episódios protagonizados por Lady Danbury às interacções familiares dos Bridgerton, há todo um conjunto de situações, mais ou menos discretas, que tornam a história mais completa, além de proporcionarem momentos de um humor delicioso.
E depois há o mistério que tem vindo a intrigar personagens e leitores e que encontra uma resposta neste livro. Resposta que até nem é assim tão inesperada, mas que, apesar de tudo, é o centro de toda uma parte da história e que contribui também para tornar as coisas (ainda) mais interessantes.
Divertido e cativante, com personagens fortes e uma história em que afecto, humor e um toque de mistério convivem num equilíbrio perfeito, este é, pois, um livro que facilmente se torna viciante e que, da primeira à última página, nunca deixa de surpreender. Brilhante.

1 comentário:

  1. Este e o primeiro da série dos Bridgertons, são os meus preferidos :)

    ResponderEliminar