quinta-feira, 30 de abril de 2009

Um Gosto Mórbido por Ossos (Ellis Peters)

Desde que a leitura de "A Árvore do Céu" me fascinou que fiquei curiosa por conhecer a vertente mais conhecida desta autora. Sob o pseudónimo de Ellis Peters, Edith Pargeter convida-nos a entrar nos meandros da intriga e do mistério, e isto na época mais propícia aos enigmas: a idade média. E o mais inesperado em tudo isto é mesmo a personagem que desempenha o papel de detective, o misterioso Irmão Cadfael, um galês que, depois de um longo percurso pelos caminhos do mundo, escolheu procurar a tranquilidade no claustro.
Neste livro, tudo começa com uma visão, quando um dos irmãos da abadia de Shrewsbury, é abençoado com uma visão de Santa Winifred. A partir daí, os irmãos entendem como sua missão transladar as relíquias da santa para a sua abadia, onde deverá ser adorada como merece, e começa a aventura.
"Um Gosto Mórbido por Ossos" é, sem dúvida, um livro fascinante para quem aprecia o género policial. Apesar do seu enredo invulgar, a narrativa torna-se espantosamente viciante, à medida que os acontecimentos nos levam a novas situações e novos mistérios por resolver. Um livro de leitura rápida e envolvente, com personagens fascinantes e uma história cheia de surpresas. Absolutamente recomendado.

domingo, 26 de abril de 2009


video
Já está no site da editora ( www.hmeditora.com ) a capa do meu novo livro. Brevemente estará disponível para aquisição. E enquanto não surgem mais novidades, deixo-vos aqui uma pequena apresentação do livro. Não é nada de profissional, mas espero que sirva para despertar a curiosidade.

sábado, 25 de abril de 2009

O Festim dos Corvos (George R. R. Martin)

Génio e originalidade são características a que o autor de As Crónicas de Gelo e Fogo nos habituou desde o início da saga. E, se, quando comparado ao agitadíssimo A Glória dos Traidores, nos deparamos agora com um ritmo bem mais calmo, a sucessão de intrigas e planeamentos que percorrem as páginas deste volume não desiludem, de forma alguma, os fãs da saga.
Muitas mudanças percorreram a saga até agora. Personagens que odiávamos conseguiram conquistar o nosso coração, enquanto que, apesar dos vários aspectos que nos vão sendo desvendados, outros permanecem para nós, como dignos de louvor ou de desprezo. E se, neste volume, várias das personagens que nos cativaram se encontram ausentes, também ficamos a conhecer novos intervenientes deste grande jogo de tronos, bem como novos pormenores das acções e dos carácteres dos nossos "amores e ódios de estimação".
Não tem o ritmo do volume anterior, é verdade, mas o que se perde em confrontos e momentos de tensão é amplamente compensado pelas visões e intrigas de corte com que somos brindados neste novo livro. As Crónicas de Gelo e Fogo são, sem dúvida, do melhor que o fantástico actual tem para oferecer e este livro, de leitura cativante, história e ambiente complexos e diversificados, e personagens devastadoramente reais na sua fusão de bem e de mal, não falhará, de forma alguma, às expectativas dos leitores.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

E Morreram Felizes para Sempre (brevemente)


Não, meus caros. Desta vez não é fantasia. Esse ainda está à espera que chegue a sua hora. Mas este que tendes diante dos vossos olhos é o meu novo livro, a poucas semanas do seu nascimento, graças ao trabalho da HM editora. Não tenho muitas informações para vos dar, ainda. Apenas esta capa, que adoro, e uma síntese muito básica do que tratam estas páginas. É um conjunto de oito contos, oito olhares contemplando os mais secretos meandros da vida real. São histórias de vida e de morte, de tormento e de sombra, de todos os sentimentos muitas vezes ocultos sob um olhar indiferente.
E para já é isto. Mais informações (e, quem sabe, imagens) ficam prometidas para dentro de poucos dias... Para qualquer coisinha, podem sempre contactar-me. (
carianmoonlight@gmail.com)
Saudações...
Carla Ribeiro

terça-feira, 14 de abril de 2009

Morte até ao Anoitecer (Charlaine Harris)

Como adepta incurável de uma boa história de vampiros, não podia passar sem ler este livro. E se, durante as primeiras páginas, não me saía da cabeça a inevitável comparação com a saga Luz e Escuridão, de Stephenie Meyer, cedo a história envereda por caminhos bem diferentes, apagando da memória essa inicial semelhança entre os protagonistas da história, para nos envolver no enredo original e bem constituído deste livro.
Somos, desde o início, convidados a entrar na estranha vida de Sookie Stackhouse, uma empregada de mesa com uma qualidade que a torna diferente das pessoas que a rodeiam. E a peculiaridade da sua vida torna-se ainda mais evidente quando tem início a sua relação com o estranho e perturbador vampiro Bill Compton. A partir daí, através de uma história que envolve, romance, mistério, assassinatos por resolver e uma grande incursão pelo mundo dos vampiros, somos conduzidos por um enredo cativante e que nos deixa a suspirar por mais quando chegamos ao final.
Confesso que, desde o início, a personagem que mais me cativou foi Bill, o algo sinistro vampiro, ao mesmo tempo frio como é característico da sua raça, mas tão humano e protector na sua ligação com a heroína desta história. Mas é preciso que se diga que, na diversidade das personagens que constituem a história, qualquer leitor poderá encontrar os seus amores e ódios de estimação, porque existe um vasto leque de actos e personalidades.
De acrescentar, ainda, que a escrita fluída da autora, a forma viciante como o enredo se desenvolve, com poucas partes paradas ao longo do livro, e a diversidade e originalidade de momentos e personagens são, sem dúvida, uma grande mais-valia nesta série que promete continuar a conquistar leitores no mundo da fantasia.